A história do pássaro jacu

A espécie de pássaro jacu, é muito conhecida ao redor do Brasil e também internacionalmente. Ele é raro, exótico e existe um café renomado que é feito com as fezes desta ave.

Esse pássaro lembra uma galinha, e chegou a ser considerado como um problema na região do espírito santo, por ter uma população de aves muito grande.

Devido à alimentação do jacu, suas fezes são ricas em ingredientes essenciais para a produção do tão renomado e caro café. Continue lendo este artigo, pois nas próximas linhas apresento a vocês a magnífica história do pássaro jacu.

 

Origem do pássaro jacu

A espécie pode ser encontrada em grande quantidade na Mata Atlântica e nas regiões sudeste e sul. Ele também atravessou as fronteiras, exemplares são vistos na Argentina, Bolívia, Uruguai e Paraguai.

O nome Jacu teve origem indígena, em Tupi, significa aquele que come grãos. Devido à sua alimentação diferente, surgiu a história do pássaro Jacu.

 

Descubra como tudo começou

O pássaro Jacu, se alimenta basicamente de frutos e folhas. Esses alimentos são comuns nas épocas mais quentes do ano, como verão e primavera. Já nas estações mais frias, o alimento para o Jacu se torna escasso.

As fazendas de café que existiam nas regiões em que os pássaros jacu viviam, produziam café o ano todo. Com a falta do seu alimento natural, a ave Jacu começou a atacar os pés de café da região, como instinto de sobrevivência.

A espécie Jacu, vive em bandos. E o gosto pelas frutas do café foram se popularizando entre eles. Os fazendeiros acabaram sofrendo grandes perdas nos cafezais devido aos ataques do pássaro Jacu.

 

Fezes do pássaro Jacu usadas no café

Um certo fazendeiro, revoltado com as perdas em seu cafezal, esperou o fim do ataque dos pássaros jacu e decidiu sair pela mata para calcular seu prejuízo. Ele acabou pisando nas fezes do pássaro, e ali ele jamais imaginou que estaria pisando em uma “mina de ouro”.

O dono da fazenda, se lembrou de uma antiga história da Indonésia. Lá, um gambá chamado Iuwak era o grande responsável pelo sucesso de um café muito valioso no país, pois os grãos de café que saiam nas fezes do bichano, eram usados para a produção da bebida.

No processo de digestão dos grãos de café, eles não são ingeridos pelo organismo e acabam sendo expelidos inteiros nas fezes. O fazendeiro então, decidiu testar a teoria com o pássaro jacu.

Logo após analisar e ver que o processo não oferecia riscos à saúde, os grãos de café foram então separados das fezes, higienizados de forma correta para então serem torrados. A primeira produção do café do pássaro Jacu ocorreu em 2006, apenas como teste. Desde então, nunca mais parou.

 

O café na história do pássaro Jacu

O resultado do experimento do fazendeiro, deu origem a um café adocicado, e mais ácido se for comparado aos cafés tradicionais. Foi questão de tempo para o novo café, do pássaro jacu, agradar até aos paladares mais sofisticados.

O Jacu come os melhores frutos do café, ele escolhe minuciosamente, e por isso a bebida tem uma qualidade tão alta. O café resultante é hoje considerado um dos mais caros do mundo.

O kilo pode ser encontrado a meros R$240,00. Em muitos cafés e lanchonetes, uma pequena xicara do café do pássaro Jacu pode custar R$8,00.

 

O processo de produção do café do pássaro Jacu é 100% natural, dependendo totalmente da ave. Por isso, o seu título como café mais caro do Brasil e um dos mais caros do mundo, não é aleatório.

A ave Jacu está ameaçada de extinção. Por esse motivo, ele não pode ser preso ou viver em cativeiros. A produção do café depende totalmente de forma natural, depende exclusivamente que o Jacu se alimente dos frutos.

Você já sabia da História do Pássaro Jacu? Conte para a gente o que achou da nossa exótica matéria, deixei seu comentário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *